Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Acre tem segunda maior queda do país no setor de serviços de 4,8% em setembro, aponta IBGE

Apesar do tombo no mês de setembro, no acumulado no ano, estado acreano registra avanço de 19,4%.

_________________Publicidade_________________

O volume de serviços prestados no Acre caiu 4,8% em setembro, na comparação com agosto, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Essa é a segunda maior queda registrada no país, ficando atrás somente de Sergipe, que registrou um tombo de 5,7% em setembro no setor de serviços.

A retração no setor veio após uma alta no mês de agosto de 0,5% no mês de agosto. Segundo os dados, na comparação com setembro de 2020, houve avanço de 14,4%.

Mesmo com a queda de setembro, o setor ainda acumula avanço de 19,4% no acumulado do ano (período de janeiro a setembro). Em 12 meses, comparando com o mesmo período do ano anterior, houve uma alta de 13,6%.

O setor de serviços é o que possui o maior peso na economia brasileira e foi o mais atingido pela pandemia de Covid-19. Nos últimos meses, tem sido o principal destaque de recuperação, favorecido pelo avanço da vacinação e maior mobilidade da população.

Dados nacionais

O volume de serviços prestados no Brasil caiu 0,6% em setembro, na comparação com agosto, interrompendo uma sequência de 5 meses de crescimento. Na comparação com setembro do ano passado, houve avanço de 11,4% – a sétima taxa positiva consecutiva.

Assim como no Acre, mesmo com a queda de setembro, o setor ainda acumula avanço de 11,4% no ano. Em 12 meses, tem alta de 6,8%, maior taxa da série histórica, iniciada em dezembro de 2012.

Segundo o IBGE, 4 das 5 atividades pesquisadas tiveram queda na passagem de agosto para setembro, com destaque para os transportes (-1,9%), que registraram o resultado negativo mais intenso desde abril de 2020 (-19,0%). As outras atividades que recuaram no período foram outros serviços (-4,7%), informação e comunicação (-0,9%) e serviços profissionais, administrativos e complementares (-1,1%).

Por G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas