Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

Acidente com moveleiro de Cruzeiro do Sul é considerado uma fatalidade devido sua larga experiência na área

_________________Publicidade_________________

O experiente moveleiro Francisco Pereira de Menezes Filho, 52 anos, trabalhava normalmente numa máquina esquadrilhadeira, na manhã desta quinta-feira (04), na oficina da empresa Móveis Couto, localizada no Parque Industrial Florestal de Cruzeiro do Sul, que abriga muitas movelarias do município, quando foi atingido por um dos pedaços de madeira que cortava para confecção de cadeiras.

O moveleiro já estava concluindo o corte da madeira quando ao pegar num dos pedaços para passar a segunda vez e concluir o corte acidentalmente a ponta da peça pegou no disco que trabalha em alta rotatividade e arremessou o pedaço que atingiu seu peito esquerdo. Ele ainda conseguiu andar um pouco, mas deu uma golpada de sangue pela boca.

Moveleiros cortava madeira para cadeiras na esquadrilhadeira quando aconteceu o acidente

Seu colega de trabalho o amparou para que ele não caísse e em seguida com os outros o colocaram num veículo de outro moveleiro e o levaram para o Pronto Socorro do Hospital do Juruá onde ele deu entrada em situação crítica, mas não resistiu ao ferimento interno causado pelo pedaço de madeira e faleceu momentos depois.

Moveleiro tinha concluído 95% do corte da madeira momento que aconteceu o acidente

“Foi muito rápido que tudo aconteceu. Ele já estava concluindo o corte da madeira quando pegou o pedaço que o atingiu. Ao puxar o pedaço para dar o último corte a ponta pegou no disco e bateu com violência no peito dele. Ele ainda quis falar e não conseguiu. Andou um pouco e corri para ampará-lo para ele não cair”, disse um dos colegas que o socorreu.

“É triste, ele era uma profissional muito capacitado e estava animado com o trabalho. Ainda não consigo acreditar no que aconteceu”, afirma o outro colega. “Ele era uma pessoa que trabalhava sem pressa e sempre com muito cuidado, mas foi uma fatalidade, infelizmente ele não resistiu”, disse ao lamentar o acidente que vitimou o moveleiro.

O presidente da Associação dos Moveleiros, João Batista, que foi ao local do acidente para prestar solidariedade destacou a fatalidade ao enfatizar a experiência do moveleiro acidentado e afirmar que todos os funcionários das empresas do polo são capacitados com relação aos cuidados para evitar acidentes de trabalho.

Por telefone o deputado estadual Edvaldo Magalhães se solidarizou com o presidente da Associação dos Moveleiros e com todos os profissionais pela fatalidade.

Via-Voz do Norte

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas