16 de agosto de 2022   |   20:32  |  

booked.net

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

AC cria campanha para incentivar uso de coleira de identificação por animais domésticos

Ideia é evitar que animais fiquem perdidos por muito tempo em caso de fuga. Lei que institui campanha foi publicada nesta quarta-feira (27) no DOE.

_________________Publicidade_________________

Com previsão de ações educativas para informar a população sobre a importância do uso de coleiras com o nome do animal e do tutor, o Acre criou uma campanha de conscientização sobre a identificação de animais domésticos.

A lei sobre a iniciativa foi publicada na edição desta quarta-feira (27) do Diário Oficial do Estado (DOE).

Entre os objetivos da campanha estão:

  • incentivo ao uso de coleira com plaqueta como forma de identificação para evitar que o animal fique perdido por muito tempo em caso de fuga;
  • divulgação de sugestões sobre os dados básicos que precisam constar na plaqueta de identificação, como nome do animal, nome do tutor e telefone de contato;
  • publicidade sobre formas tecnológicas de identificação de animais domésticos, como a microchipagem, que podem ser usadas sem prejuízo ao uso da coleira com plaqueta.

Conforme a publicação, o poder executivo deve expedir regulamentos para a execução da campanha.

Para a Comissão de Defesa dos Animais da OAB-AC, a iniciativa é importante para contribuir para a redução da quantidade de animais perdidos que não conseguem voltar para casa e conscientizar as pessoas de que lugar de animal não é na rua.

“Vários animais que estão na rua são animais que foram perdidos, nem todos foram abandonados. Mesmo porque, a maioria dos filhotes que nascem na rua falece por conta de doença, falta de vacinação, atropelamento, maus-tratos. O animal, a depender das condições físicas de saúde e idade, consegue andar muitos quilômetros por dia. Então, cada dia que passa, fica muito difícil de encontrar e, muitas vezes, a pessoa que encontra está distante de onde o dono está procurando”, disse Maria Lígia Ueno, membro da comissão.

Ela destaca ainda sobre os riscos com animais que se perdem e vão parar nas ruas. “Aquele animal que está perdido é um animal que tinha cuidados e de repente deixa de ter e está sujeito a doenças, a causar acidentes de trânsito e uma série de outros exemplos danosos para a sociedade como um todo.”

Recentemente, o site contou a história do gato Bartolomeu que desapareceu do condomínio onde a família mora, no Habitar Brasil, em Rio Branco. A dona dele chegou a oferecer uma recompensa de R$ 3 mil para quem encontrar o pet e devolver.

Outro caso de animal de estimação foi o da bezerra Bethânia que sumiu de uma chácara na cidade de Senador Guiomard, no interior do Acre. Um boletim de ocorrência por furto foi registrado na delegacia da cidade.

Com Informações G1

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

LEIA MAIS