Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram

8 crianças morrem em ataque de Israel a Gaza; prédio de TV colapsa

_________________Publicidade_________________

Dez pessoas de uma família palestina, incluindo oito crianças, foram mortas neste sábado por mísseis israelenses, que atingiram ainda um prédio que abriga a agência de notícias Associated Press e a emissora Al Jazeera.

Dez pessoas de uma mesma família palestina, incluindo oito crianças, foram mortas neste sábado (15) em um bombardeio israelense na Faixa de Gaza, informaram fontes médicas.

Além disso, um prédio de 12 andares na Faixa de Gaza que abriga os escritórios da Associated Press (AP), dos Estados Unidos, e da emissora Al Jazeera, do Catar, desabou neste sábado, após ser atingido por mísseis israelenses, informaram as agências Reuters e France Presse. Não há informações de feridos.

O prédio foi evacuado cerca de uma hora antes do ataque aéreo, após um aviso ser enviado ao proprietário do prédio pelo exército israelense, informou a Reuters. Não houve uma explicação imediata do motivo pelo qual o edifício foi alvo do ataque.

“Um ataque israelense destruiu o prédio que abrigava os escritórios da AP em Gaza”, disse Jon Gambrell, jornalista da agência de notícias, no Twitter. “O Exército avisou o proprietário do prédio onde fica o escritório da AP que o local seria alvo de um bombardeio”, escreveu pouco antes do ataque.

Outro jornalista da AP, que pediu para não ser identificado, disse que todos os funcionários estavam bem, mas em estado de choque.

A rede de televisão Al Jazeera confirmou no Twitter que seus escritórios ficavam no prédio e transmitiu ao vivo as imagens da torre desabando e sendo reduzida a uma montanha de escombros.

O edifício também tinha vários apartamentos e outros escritórios.

As Forças Armadas israelenses confirmaram que “atacaram um prédio que abrigava alvos militares, pertencente à inteligência militar da organização terrorista Hamas”. Segundo o comunicado, o Hamas “esconde e usa como escudo humano” os meios de comunicação que estavam no edifício.

A agência de notícias americana AP declarou estar “chocada e horrorizada” com o ataque israelense. “Este é um acontecimento incrivelmente perturbador. Nós evitamos por pouco uma terrível perda de vidas”, disse o chefe da agência, Gary Pruitt, em um comunicado. “O mundo ficará menos informado sobre o que está acontecendo em Gaza por causa do que aconteceu hoje”, acrescentou.

O secretário de imprensa da Casa Branca informou no Twitter que os EUA comunicaram aos israelenses que garantir a segurança dos jornalistas e dos meios independentes é “uma responsabilidade suprema”.

Torre em Gaza que abriga AP e Al Jazeera desmorona após ataque de míssil na cidade de Gaza, em 15 de maio de 2021 — Foto: Mohammed Salem/Reuters

Torre em Gaza que abriga AP e Al Jazeera desmorona após ataque de míssil na cidade de Gaza, em 15 de maio de 2021 — Foto: Mohammed Salem/Reuters

Ataques prosseguem

Dez pessoas de uma mesma família palestina, incluindo oito crianças, foram mortas neste sábado em um bombardeio israelense na cidade de Gaza, segundo fontes médicas palestinas.

O ataque atingiu a casa da família Abu Hatab, no campo de refugiados de Al-Shati. O prédio de três andares em que estavam desabou após o bombardeio.

A mãe e seus quatro filhos – com entre 5 e 15 anos – morreram. Quatro primos – com entre 8 e 14 anos – e sua mãe, que os visitavam por ocasião do Eid al-Fitr, que marca o fim do Ramadã, também morreram.

Os dois pais, Aala Abu Hattab e Mohamad Al Hadidi, que estavam do lado de fora do prédio, sobreviveram, assim como um bebê de cinco meses, que foi hospitalizado. A criança sobreviveu porque a mãe se fez de “escudo humano” para protegê-la.

As crianças “estavam seguras em casa, não carregavam armas, não disparavam foguetes”, disse Mohammad Al Hadidi. “Usavam roupas novas para o Eid al-Fitr”.

O chefe do Hamas, Ismail Haniyeh, denunciou em um comunicado “um massacre hediondo no campo de Al-Shati”.

Israel atingiu a Faixa de Gaza com ataques aéreos e militantes palestinos lançaram foguetes em Tel Aviv e outras cidades neste sábado. Diplomatas americanos e árabes procuram acalmar a situação, porém, ainda sem sucesso.

Durante a madrugada, militantes palestinos dispararam cerca de 200 foguetes contra cidades israelenses, e aviões de Israel atingiram o que seriam alvos usados pelo Hamas, o grupo islâmico que comanda Gaza.

Pelo menos 139 pessoas, incluindo 39 crianças, foram mortas em Gaza desde o início do conflito na segunda-feira (10), informaram médicos palestinos. Já Israel registrou nove mortos, incluindo duas crianças. No saldo de feridos, são 1.000 palestinos e 560 israelenses.

O bombardeio israelense matou durante a noite de sexta e madrugada de sábado mais de 15 palestinos em Gaza, disseram médicos, incluindo a família palestina.

Os militares israelenses disseram neste sábado que cerca de 2.300 foguetes foram disparados de Gaza contra Israel desde segunda-feira, com cerca de 1.000 interceptados por defesas antimísseis e 380 caindo na Faixa de Gaza.

G1 MUNDO

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on telegram
Redação Juruá Online

Redação Juruá Online

Notícias Relacionadas